terça-feira, 12 de junho de 2018

Santo Antônio: homem do trabalho e oração

13 de junho, dia de Santo Antônio de Pádua. 

Hoje faço uma pausa nos poemas, para refletirmos um pouco sobre a vida de Santo Antônio de Pádua, o primeiro baluarte de nossa comunidade. 

Quem foi Antônio?

Das grandes virtudes que carregava consigo Fernando Bulhões, mais tarde conhecido como Santo Antônio de Pádua, destaca-se a sua simplicidade e grande humildade. Antônio soube por meio de uma vida intensa de trabalho e oração, encontrar o equilíbrio e regar de temperança o seus relacionamentos interpessoais. Punha-se à serviço de todos e abraçava os serviços mais penosos e que geravam maior repulsa com grande zelo. 
Um grande pregador escondido atrás dos temperos, das panelas e no serviço aos irmãos. 
Tantas vezes rejeitado pelo seu povo de coração endurecido! 
Incessante, martelo dos hereges, defensor da verdade! 
Grande catequista. Antônio possui maestria com as palavras, dominava a oratória, 
mas sobretudo tinha o coração dócil ao Espírito Santo. 
Soube em tão pouco tempo, apenas 36 anos, fazer de sua vida um autêntico testemunho do Evangelho! 
Antônio foi na terra um espelho que refletiu a atenção de Jesus aos mais necessitados, não só do alimento, mas àqueles que eram pobres do conhecimento da verdade, da Doutrina, do Evangelho! 
Esse espelho continua a reluzir, seu testemunho é para nós um estímulo e modelo de como deve ser nosso zelo pela Palavra, nosso amor pela Santa Igreja e a intensidade do nosso trabalho e oração! 

Alguns marcos da vida de Santo Antônio
1195 - Nascimento: Lisboa Portugal
15 anos - Cônegos Regulares de Santo Agostinho 
1220: Ingresso na Ordem dos Frades Menores
1230: Alto grau de debilidade da saúde | Escrita dos Sermões
1231: Morte 
1232: Canonização realizada pelo Papa Gregório IX
Ps: Foi o processo de canonização mais rápido de canonização da história da Igreja.


Santo Antônio de Pádua, rogai por nós!