quarta-feira, 25 de abril de 2018

Voz de Cristo

De paz profunda e inigualável
é o anúncio que Ti recebo,
voz doce, firme e inconfundível
que mesmo em meio à multidão
não pode ser confundida.

Voz que hoje propago,
não em mesmo timbre,
mas sob o mesmo envio
que outrora foi feito aos
apóstolos.

Voz que me chama e envia,
que aquece o vigor do meu
coração.
Tuas palavras, Senhor, são
verdade, são vida!

Sou imperfeito instrumento,
escolhido e retirado da multidão
para fazer ecoar um anúncio
que é eterno, sou voz de Cristo
que ressoa aos quatro cantos
da terra.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Passarinho

Causou assombro o canto
do passarinho, a sussurrar
baixinho um lindo louvor
a Deus.
Louve, meu passarinho,
agrada o Criador tua saudosa
melodia.
Progressivamente aumenta teu
canto, causa assombro, causa
espanto aos corações que não
mais louvam.
Canta passarinho, canta em tom
enamorado.... e veja que a alegria
logo é refeita!
Louve, louve um pouco mais!
Cante, cante um pouco mais!
Ame, ame um pouco mais!
Sejas tu, simples  e constante
no louvor, veja como canta
e louva este passarinho.


sexta-feira, 6 de abril de 2018

O próprio Castelo

Conhecer-se, desvendar-se, galgar nas moradas do próprio castelo.
Mergulhar fundo em si, encontrar nos detalhes o Rei; nas dores oportunidades, no desconforto escada para o amadurecimento.
Nos gozos incentivos, nas tristezas chances para a oferta de si.
Tão formoso Castelo, tão grandioso Rei.
Tão mais belo serei se ao Rei consagrar-me e deixar que Sua imensa luz de mim as trevas apague!
Tão melhor me verei se de meus olhos me despojar e deixar que o Rei com os Seus possa me olhar.
Tão mais longe irei, quando deixar de por mim buscar, para que o Rei me ensine a em encontrar, a como galgar nas moradas de meu próprio castelo.

Conhecer-me, desvendar-me, galgar nas moradas do meu próprio Castelo! 
Vamos comigo Jesus? 

quinta-feira, 5 de abril de 2018

No mover das ondas

No mover das ondas que
são de frio e calor, que
possuem brilho e cor.
Intensas, fugazes, vivas,
que devoram e enchem de
paz o interior.
Sou o composto de tantos
dons e virtudes, limites,
fraquezas.
Sou intermédio, sou instrumento,
ora fogo, ora vento...
Ora chama, ora mar, silêncio,
misericórdia, esperança,
exortação...
Sou oração!
Mar, sopro do Espírito em meio
ao mover das ondas!
Ao mesmo tempo: fogo, mar,
silêncio, brisa, esperança,
ressurreição, vida nova, sou
restauração!