terça-feira, 20 de novembro de 2018

Confronto

Ponho-me diante de Ti
para viver a experiência
de um confronto, não com
o Senhor, mas comigo mesmo.
Amadurecer passa por esta via
onde a imagem que se vê nem
sempre agrada!
Mas ao olhar nos olhos Jesus
pode-se ver a imagem original,
a restaurada!
Importa então os olhos que a
vê... O desejo é que sejam os
Teus transpassados em meu
olhar!
Ou ainda os olhos de Tua Mãe,
virginais e cheios de esperança,
que me impulsam para uma vida
pautada no amor e na oferta de
si própria.
Magnífica é então esta imagem
restaurada, pois nela me vejo
não como no início do confronto,
mas em sua essência, tal como foi
criada, Imagem e Semelhança!

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Eu Sou a Fonte

Um convite:

Eu Sou a Fonte,
o convite, a exortação.
Eu Sou a via, o
caminho, a verdade,
a estrada, a comunhão!
Eu Sou, Jesus, a Fonte da
vida e da ressurreição!
Eu Sou a Vida que jorra...
Eu Sou Jesus Restaurador!
Vinde a Mim!


Uma resposta:

Corresponder em fidelidade
ao Teu apelo, refugiar-me em
Tuas águas, deixar-me conduzir
e cuidar por Ti!
Provar da vida plena, da ressurreição!
Apresentar-me deforme em processo
de restauração!
Ser canal, instrumento, exortar e
convidar outros a trilharmos a estrada da
comunhão!

Um dia ouvi de Jesus: Eu Sou a Fonte!
... E então respondi: desta água quero beber!

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Um lugar

Um lugar, uma habitação,
Um santuário, um templo...
Uma história, um povo,
um só Deus!
Esperado, temido, idealizado...
Revelou-se diferente: compassivo,
tardo para a cólera, brando e amável,
servidor, desprovido de luxo...
Não possuía escravos, mas filhos...
Tudo que dizia, antes fazia Ele mesmo.
Todo homem, todo Deus...
Humilde, simples, sábio e entregue.
Sobre  o lugar, a habitação, o santuário,
a história e este Deus, respondo:
Um lugar: meu coração!
Uma habitação: meu coração?
Um santuário: meu coração!
Uma história: minha história!
Um só Deus!
Um lugar: Eu!

domingo, 16 de setembro de 2018

Folhas secas

São como folhas secas
que quando caem e são
levadas pelo vento,
indicam que algo
novo está por vir,
um novo tempo há
de ser instaurado.
Talvez não seja bela
aquela vista dos galhos
vazios desta árvore.
Mas o frescor da brisa
que leva as folhas secas
anuncia: um novo tempo
está para nascer e o que era
devasto tornará a florir, será
possível ver flores e frutos
aonde folhas secas o vento levou.


quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Ser fogo

Ser fogo que irradia, aquece
e enche de esperança o coração
do que já não mais crê.
Ser fogo que arde, abrasa  e
aviva os que em tortuosos
caminhos dissipam seus
passos.
Ser fogo que dispersa as
trevas e ilumina, ser fogo,
ter novo ardor!
Deixar-se devorar pela
ação do Espírito e consumir
a vida em oblação.
Ser não o altar, mas a própria
imolação, a oferta, o sacrifício.
Morrer, dar de si para que outros
vivam e assim viver.
Ser fogo, ter vivo no coração um
novo ardor e espalhá-lo nos quatro
cantos da terra, levando ao mundo
restauração!
Ser fogo, ter novo ardor...


terça-feira, 12 de junho de 2018

Santo Antônio: homem do trabalho e oração

13 de junho, dia de Santo Antônio de Pádua. 

Hoje faço uma pausa nos poemas, para refletirmos um pouco sobre a vida de Santo Antônio de Pádua, o primeiro baluarte de nossa comunidade. 

Quem foi Antônio?

Das grandes virtudes que carregava consigo Fernando Bulhões, mais tarde conhecido como Santo Antônio de Pádua, destaca-se a sua simplicidade e grande humildade. Antônio soube por meio de uma vida intensa de trabalho e oração, encontrar o equilíbrio e regar de temperança o seus relacionamentos interpessoais. Punha-se à serviço de todos e abraçava os serviços mais penosos e que geravam maior repulsa com grande zelo. 
Um grande pregador escondido atrás dos temperos, das panelas e no serviço aos irmãos. 
Tantas vezes rejeitado pelo seu povo de coração endurecido! 
Incessante, martelo dos hereges, defensor da verdade! 
Grande catequista. Antônio possui maestria com as palavras, dominava a oratória, 
mas sobretudo tinha o coração dócil ao Espírito Santo. 
Soube em tão pouco tempo, apenas 36 anos, fazer de sua vida um autêntico testemunho do Evangelho! 
Antônio foi na terra um espelho que refletiu a atenção de Jesus aos mais necessitados, não só do alimento, mas àqueles que eram pobres do conhecimento da verdade, da Doutrina, do Evangelho! 
Esse espelho continua a reluzir, seu testemunho é para nós um estímulo e modelo de como deve ser nosso zelo pela Palavra, nosso amor pela Santa Igreja e a intensidade do nosso trabalho e oração! 

Alguns marcos da vida de Santo Antônio
1195 - Nascimento: Lisboa Portugal
15 anos - Cônegos Regulares de Santo Agostinho 
1220: Ingresso na Ordem dos Frades Menores
1230: Alto grau de debilidade da saúde | Escrita dos Sermões
1231: Morte 
1232: Canonização realizada pelo Papa Gregório IX
Ps: Foi o processo de canonização mais rápido de canonização da história da Igreja.


Santo Antônio de Pádua, rogai por nós! 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Poucos versos

São poucos os versos e não
serão jamais capazes de sintetizar
o grande Amor que Ti recebo.
São poucos os versos, incapazes,
como já disse, meio sem rumo,
meio vagos, meio perdidos...
Poucos e incertos, por vezes
belos, mas não totalmente próprios.
São frutos deste Amor que todos os
dias eu provo.
São poucos e os renovo todos os dias
quando silencio, contemplo e ponho-me
em oração.
Quando ouço uma canção que fala de Ti,
quando para e olho-te a fazer-se vulnerável
e sendo um Deus tão imenso, permitir que
seja alcançado.
Escrevo, porque não consigo deixar em
mim retida tão grandiosa obra.
Sabendo que todos os livros do mundo não
seriam capazes de descrever Tua grandiosidade,
escrevo estes poucos versos que falam de Ti,
que falam do Teu amor!


quarta-feira, 25 de abril de 2018

Voz de Cristo

De paz profunda e inigualável
é o anúncio que Ti recebo,
voz doce, firme e inconfundível
que mesmo em meio à multidão
não pode ser confundida.

Voz que hoje propago,
não em mesmo timbre,
mas sob o mesmo envio
que outrora foi feito aos
apóstolos.

Voz que me chama e envia,
que aquece o vigor do meu
coração.
Tuas palavras, Senhor, são
verdade, são vida!

Sou imperfeito instrumento,
escolhido e retirado da multidão
para fazer ecoar um anúncio
que é eterno, sou voz de Cristo
que ressoa aos quatro cantos
da terra.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Passarinho

Causou assombro o canto
do passarinho, a sussurrar
baixinho um lindo louvor
a Deus.
Louve, meu passarinho,
agrada o Criador tua saudosa
melodia.
Progressivamente aumenta teu
canto, causa assombro, causa
espanto aos corações que não
mais louvam.
Canta passarinho, canta em tom
enamorado.... e veja que a alegria
logo é refeita!
Louve, louve um pouco mais!
Cante, cante um pouco mais!
Ame, ame um pouco mais!
Sejas tu, simples  e constante
no louvor, veja como canta
e louva este passarinho.


sexta-feira, 6 de abril de 2018

O próprio Castelo

Conhecer-se, desvendar-se, galgar nas moradas do próprio castelo.
Mergulhar fundo em si, encontrar nos detalhes o Rei; nas dores oportunidades, no desconforto escada para o amadurecimento.
Nos gozos incentivos, nas tristezas chances para a oferta de si.
Tão formoso Castelo, tão grandioso Rei.
Tão mais belo serei se ao Rei consagrar-me e deixar que Sua imensa luz de mim as trevas apague!
Tão melhor me verei se de meus olhos me despojar e deixar que o Rei com os Seus possa me olhar.
Tão mais longe irei, quando deixar de por mim buscar, para que o Rei me ensine a em encontrar, a como galgar nas moradas de meu próprio castelo.

Conhecer-me, desvendar-me, galgar nas moradas do meu próprio Castelo! 
Vamos comigo Jesus? 

quinta-feira, 5 de abril de 2018

No mover das ondas

No mover das ondas que
são de frio e calor, que
possuem brilho e cor.
Intensas, fugazes, vivas,
que devoram e enchem de
paz o interior.
Sou o composto de tantos
dons e virtudes, limites,
fraquezas.
Sou intermédio, sou instrumento,
ora fogo, ora vento...
Ora chama, ora mar, silêncio,
misericórdia, esperança,
exortação...
Sou oração!
Mar, sopro do Espírito em meio
ao mover das ondas!
Ao mesmo tempo: fogo, mar,
silêncio, brisa, esperança,
ressurreição, vida nova, sou
restauração!


sexta-feira, 30 de março de 2018

Tão somente creio

Tão somente creio e em Ti espero,
enquanto muitos dizem que não
tem há mais solução, que é vão o
esforço de buscar o Teu auxílio.
Quando gritam: "silêncio, não incomodes
mais o Mestre!"
Em meu interior bem mais alto digo:
Nele espero, tão somente creio!
É viva minha esperança, tão somente
creio!
Jesus em Ti espero e no Teu poder, tão
somente creio!


terça-feira, 20 de março de 2018

Noite escura

O silêncio da noite escura
que penetra o vazio da alma
e diz a ela: só Deus pode preenchê-lá!

O silêncio de recolhimento que faz
ser erguido o louvor, brotar o Amor!
O silêncio, dos justos consolo e descanso
eterno!

A noite escura da alma que embora conflitue
a si mesmo e aparentemente pareça ser solidão,
é na verdade este mesmo recolhimento, antes dito,
 sintetizado no exalar da oração, que faz neste
 momento de dor necessária, percorrer e transpassar
 no interior de si mesmo, a noite escura da alma!

sexta-feira, 2 de março de 2018

Naquele barco (05.08.17)

Naquele distante barco
que não sei para onde
vai...
Sem ter os lemes em
mãos e tampouco saber
nadar...
Devo ir, abandonar-me,
embalado pelo canto dos
pássaros assumir o que
está por vir, fazendo-me
a própria vítima a ser
imolada no altar do
sacrifício.



terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Águas da Tua vontade (02.01.18)

Nas águas da Tua vontade,
que  surpreendem e me dão 
força e coragem, quero navegar!
Perder de mim a posse para livre
poder externalizar minha decisão.
Quero ir, mesmo sem ter o leme em
mãos, mesmo sem conhecer ás águas 
por onde navego. 
Em minhas próprias águas já estive
perdido e não fui feliz, mas eis que 
recebi de Ti um convite para de 
abandono ao cais de mim mesmo, 
às redes que tinha para então poder
adentrar novas águas. 
São estas que hoje navego, tantas
paisagens, pessoas, lembranças, 
tantos estiveram neste mesmo barco...
Que sinceramente não sei onde vai, 
é tão bom não ter em mãos o leme, 
assim posso ser levado neste barco, 
que insisto, repito: não sei onde vai! 
São águas bem melhores que as minhas,
ás águas da Tua vontade.