domingo, 27 de março de 2016

Feliz culpa (27.03.16)

Tua voz rompe o silêncio,
e tua face gloriosa vem
dizer-me: "A paz esteja
convosco!"

Sim, sinto esta paz que
me faz acreditar que o
salário de minhas culpas
está pago.

Posso então entoar um
feliz canto que diz: "ó
morte, onde estás ó morte?"

Não sei onde habitas,
mas meu Senhor está
ante meus olhos, vivo
e ressuscitado.

Feliz culpa, que mereceu para 
si tão grandioso Redentor!
Feliz noite, em que a morte
está vencida pelo Cristo 
ressuscitado.