sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Só tu me bastas (17.05.15)

Sendo eu insuficiente,
recorro a ti.
Tendo eu me perdido
em meio ao caos,
volto meu olhar para ti.

Tendo eu sido consumido
e me perdido em mim mesmo,
volto ao lugar de onde sou,
volto ao teu coração.

Eu que me julgava
suficiente, dobro meu
coração em contrição.
Tende piedade de mim
e acolhe-me ó Deus em
teu coração, na tua paz
e segurança.

Eu que hoje entendo
que nada sou, faço
de ti o meu tudo.
Eu que me bastava,
coloco-te como meu
sentido, como minha
herança e fortaleza.

Se eu me exaltar,
abaixa-me e ensina-me
com ternura que sem
ti nada sou.

Se eu te diminuir,
corrija-me e ensina-me
a por-te acima de tudo
e de todos.

Se por meus pecados
eu me diminuir,
lembre-me o valor
da minha vida, pois
minha vida é tua!

Eu antes dono de mim
mesmo, me submeto
suplicante à tua realeza.

Sou eu, pequeno e
necessitado, insuficiente
e inacabado, não me basto,
só tu me bastas!