Grilhões (30.07.15)

O Senhor rompeu
os grilhões da escravidão,
trazendo liberdade e sentido
para minha história.
Ainda trago as marcas das
algemas que por muito tempo
me aprisionaram.

Sou resgate, fruto do rio
que me transpassou e
que com suas fortes
correntezas,  devolveram-me
a vida.

Hoje sou livre ao ponto
de poder dizer: quem poderá
me separá de Ti?
Ainda tenho amarras,
mas mais fortes são as
correntes que nos unem...

Tendo a minha vida
imersa na Tua misericórdia, 
me preparo para o tempo
da justiça.
Livre da culpa,
quero permanecer
contigo, pois é tarde
e declina o dia...

Quero atravessar a
densa noite e contemplar
o nascer da aurora,
rendendo-Te graças
por fazer-me livre
e ainda em busca
da liberdade...

Minha sorte mudou,
como o curso do rio
que corre forte e em Ti
encontrei sentido para
a minha história...

Se hoje tenho liberdade
devo a Ti a minha gratidão,
por ter dado novo sentido
à minha vida e por ter
rompido os meus grilhões.

Postagens mais visitadas