Quando (20.01.15)

Quando velo, me visitas.
Quando me ausento, aproxima-Te.
Quando canso e não mais luto,
me vences e torna-Te absoluto.

Quando me rendo, me amas.
Quando sou pequena chama,
de amor me inflamas.

Quando penso que não posso ir,
Vais por mim!
Quando me dou por vencido,
lutas em meu lugar!

Quando sou na tua terra estrangeiro,
Me acolhes como hóspede,
És no meu coração habitante
Acolho-te como amigo,
Pergunto: por que virias morar comigo?

Não importando a resposta,
moras em mim e me convidas
a morar contigo, meu doce Amigo,
hóspede e Esposo de minha alma.

Teu Amor realmente constrange,
não havendo condições, não há
temor, não há medo, não há tempo
e não importa o quando. 

Postagens mais visitadas