O Santo dos Santos (03.11.14)

Na porta estou e recebo o convite: 
Me chamas a adentrar 
o Santo dos Santos, 
e ali te adorar.
Se meu passo não se move,
teu amor me seduz
e sem mesmo perceber contigo
estou, já rendido e entregue.

Adentro então teu coração,
ali sou restaurado,
agarro a tua a mão
e novamente me
sinto amparado,
brota em mim vida e paz.

Por onde andei?
O que fiz longe de ti?
Pouca importa os muitos dias
que estive distante,
pois contigo agora estou
e o hoje se faz eterno,
tal como mil anos,
um dia contigo,
tal como mil anos,
um dia longe de ti.

Meus fúnebres dias,
são memórias
que impulsionam
um futuro feliz,
despertam o desejo
de viver ao teu lado,
são força que me
proporcionam um olhar
de misericórdia e ressurreição.

Adentrei o Santo dos Santos,
descobri quem lá estava,
não desejo sair
sem antes me converter,
não desejo sair
sem antes levar-te comigo,
não desejo sair...

Aonde eu poderia ir?
Ouço tuas palavras de vida eterna,
ouço a tua voz, a mesma que
seduziu e me fez adentrar
e te encontrar no Santo dos Santos.

Postagens mais visitadas