Mistérios (12.11.14)

Para que eu esteja contigo,
peço-te que estejas comigo.
Eu que digo entre nós
não haver despedidas,
logo me disperso,
e adeus te digo.

Julgo entre nós
não haver mistérios
e segredos, mas logo percebo
que existem ao menos dois:
um eu mesmo, a mim mesmo
desconhecido, o outro a
tua plenitude.

Neles me devaneio, aprofundo,
te conheço e logo me vejo,
me vejo e logo te encontro.

Nesta hora permaneço contigo,
apenas contemplando-te,
mistério, bondade e beleza.

Em toda hora,
permaneces comigo,
amando-me,
ensinando-me,
cuidando de mim,
como fizestes ao me criar.

Logo me rendo,
vejo que há bem mais
do que dois mistérios,
que não cabem a mim entender,
apenas contemplar.

Ficai assim comigo, Senhor:
Todo inteiro ao meu dispor.
Ficarei eu aqui contigo:
todo inteiro, servo,
filho e ao teu dispor.

Postagens mais visitadas