Liberdade (24.10.14)

Passado o tempo, 
Tendo eu contigo convivido,
obtive uma nova ótica 
e enfim vi-me do cárcere
liberto. 

Vi-me não só livre 
mas também 
da tua graça e 
misericórdia encoberto.
Terra seca, frio, deserto,
é ter-te e não estar perto. 


Hoje minha vida 
é mais fecunda, 
onde meu pecado 
é excesso, 
tua graça se  sobressai. 

Enfim, vi-me liberto
do cativeiro 
de mim mesmo,  
das amarras e correntes. 
Vi jorrar águas santas, 
correr o rio, 
as fortes torrentes,
vi no mar que eu sou, 
desaguarem ondas 
de misericórdia, amor, 
paz e benevolência.

Não só vi, 
senti e tive ciência 
de que tudo que sou
é obra tua...
Aonde me deformei, 
restauras, onde me perdi, 
me reencontras, 
onde não sorri, 
fazes nascer alegria, 
onde me prendi, 
trazes liberdade,  
onde escondi, 
é revelada a tua verdade.

Quais são os frutos 
do teu agir em mim?
Onde era terra seca, 
germina a semente 
regada pela tua mão.
Sou livre de mim mesmo, 
dou-te liberdade. 
O que posso fazer
para que sejas livre em mim?

Postagens mais visitadas