quarta-feira, 3 de abril de 2019

Renovação

Flores em um jardim de terra árida começam a nascer...
Água em uma fonte, antes seca, jorrar...
O que era turvo torna-se límpido 
e cessa a força do vento que dissipava 
areia aos olhos... 
Uma pausa, um jardim, uma fonte...
Deus mais próximo, eu no alto do monte...
Uma nova terra, um belo jardim, uma nova fonte...
Em um movimento de renovação vem a vida no 
deserto proclamar um tempo novo, restauração, 
uma  profunda renovação!

sexta-feira, 8 de março de 2019

Além de mim!

Além do que os olhos podem contemplar,
além das dificuldades da vida presente,
além dos fracassos, fraquezas, pecados,
mágoas, rancor, desânimo e tristeza.
Além da mesquinhez do tempo presente,
das desvirtudes, da ausência de fé,
dos muros que nos dividem e impedem
o canal do amor de fluir.
Além de mim, das minhas feras,
das minhas prisões, do meu cárcere,
egoísmo, indiferença, austeridade...
Quero ir além!!!
Rompendo com os abismos e trabalhando
na construção de pontes que unam corações,
que possam fomentar a comunhão, a cultura
do encontro, a paz e a concórdia, a alegria e
revelar ao mundo os encantos presentes na
Criação; a beleza da comunhão com os irmãos
e felicidade verdadeira de ser de Deus e de
romper consigo mesmo!
Leva-me, Senhor, além de mim!





terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Espelho de simplicidade

Quero ser simples diante de Deus 
e um espelho que reflete seu amor
 para os homens.
Quero ser pequeno diante de Deus 
e uma ponte que une corações!
Quero ser um espelho de simplicidade, 
um luzeiro para a humanidade.
Quero ser um simples espelho de sua 
fulgurosa divindade!

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Sou todo teu


Sou teu filho e aos 
teus  cuidados confio-me...
Sou teu filho e nos perigos 
que enfrento seguro firme 
em tua mão...
Sou teu filho e doce é a melodia 
que nasce do teu coração...
Sou teu filho, sou todo teu...
A ti consagro-me, rendo-me 
à tua ternura, ao teu carinho 
e à tua proteção!



segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Amor e adoração

Uma noite que
mudou o rumo de
nossas vidas...
A este menino
que agora fitamos
os olhos, devemos
amor e adoração,
para servi -Lo e
para que em tudo
se cumpra a vontade
do Pai doamos nossas
vidas...
Acolhe-nos aquela que
não encontrou abrigo!
Sorri Maria, ao ver
nascido e em suas mãos,
o próprio Deus.
Com olhar atento e paterno
rejubila-se José, homem simples
com tão grandiosa missão...
Uma noite...
Nasceu um menino...
De forma simples vem
dizer: Deus ama Seus filhos
e por isso em Belém uma estrela
fez reluzir, para que possamos
assumir com Ele o compromisso
de uma vida nova.


segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Deus em mim venceu

Deus venceu e fez-me ir além
Deus venceu, vivificou meu ser
e impulsionou-me para uma vida nova...
Chamou-me com voz de autoridade, 
quis-me para si.
Pus-me de pé para proclamar Seu senhoril.
Para dar centralidade e provar da alegria de ter
a vida imersa na Santíssima Trindade.
Foi com um grito estremecedor que chamou-me
e tornei à vida.
É dele a vitória, mas foi em mim que ela aconteceu.
Deus em mim venceu!

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Confronto

Ponho-me diante de Ti
para viver a experiência
de um confronto, não com
o Senhor, mas comigo mesmo.
Amadurecer passa por esta via
onde a imagem que se vê nem
sempre agrada!
Mas ao olhar nos olhos Jesus
pode-se ver a imagem original,
a restaurada!
Importa então os olhos que a
vê... O desejo é que sejam os
Teus transpassados em meu
olhar!
Ou ainda os olhos de Tua Mãe,
virginais e cheios de esperança,
que me impulsam para uma vida
pautada no amor e na oferta de
si própria.
Magnífica é então esta imagem
restaurada, pois nela me vejo
não como no início do confronto,
mas em sua essência, tal como foi
criada, Imagem e Semelhança!

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Eu Sou a Fonte

Um convite:

Eu Sou a Fonte,
o convite, a exortação.
Eu Sou a via, o
caminho, a verdade,
a estrada, a comunhão!
Eu Sou, Jesus, a Fonte da
vida e da ressurreição!
Eu Sou a Vida que jorra...
Eu Sou Jesus Restaurador!
Vinde a Mim!


Uma resposta:

Corresponder em fidelidade
ao Teu apelo, refugiar-me em
Tuas águas, deixar-me conduzir
e cuidar por Ti!
Provar da vida plena, da ressurreição!
Apresentar-me deforme em processo
de restauração!
Ser canal, instrumento, exortar e
convidar outros a trilharmos a estrada da
comunhão!

Um dia ouvi de Jesus: Eu Sou a Fonte!
... E então respondi: desta água quero beber!

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Um lugar

Um lugar, uma habitação,
Um santuário, um templo...
Uma história, um povo,
um só Deus!
Esperado, temido, idealizado...
Revelou-se diferente: compassivo,
tardo para a cólera, brando e amável,
servidor, desprovido de luxo...
Não possuía escravos, mas filhos...
Tudo que dizia, antes fazia Ele mesmo.
Todo homem, todo Deus...
Humilde, simples, sábio e entregue.
Sobre  o lugar, a habitação, o santuário,
a história e este Deus, respondo:
Um lugar: meu coração!
Uma habitação: meu coração?
Um santuário: meu coração!
Uma história: minha história!
Um só Deus!
Um lugar: Eu!

domingo, 16 de setembro de 2018

Folhas secas

São como folhas secas
que quando caem e são
levadas pelo vento,
indicam que algo
novo está por vir,
um novo tempo há
de ser instaurado.
Talvez não seja bela
aquela vista dos galhos
vazios desta árvore.
Mas o frescor da brisa
que leva as folhas secas
anuncia: um novo tempo
está para nascer e o que era
devasto tornará a florir, será
possível ver flores e frutos
aonde folhas secas o vento levou.


quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Ser fogo

Ser fogo que irradia, aquece
e enche de esperança o coração
do que já não mais crê.
Ser fogo que arde, abrasa  e
aviva os que em tortuosos
caminhos dissipam seus
passos.
Ser fogo que dispersa as
trevas e ilumina, ser fogo,
ter novo ardor!
Deixar-se devorar pela
ação do Espírito e consumir
a vida em oblação.
Ser não o altar, mas a própria
imolação, a oferta, o sacrifício.
Morrer, dar de si para que outros
vivam e assim viver.
Ser fogo, ter vivo no coração um
novo ardor e espalhá-lo nos quatro
cantos da terra, levando ao mundo
restauração!
Ser fogo, ter novo ardor...


terça-feira, 12 de junho de 2018

Santo Antônio: homem do trabalho e oração

13 de junho, dia de Santo Antônio de Pádua. 

Hoje faço uma pausa nos poemas, para refletirmos um pouco sobre a vida de Santo Antônio de Pádua, o primeiro baluarte de nossa comunidade. 

Quem foi Antônio?

Das grandes virtudes que carregava consigo Fernando Bulhões, mais tarde conhecido como Santo Antônio de Pádua, destaca-se a sua simplicidade e grande humildade. Antônio soube por meio de uma vida intensa de trabalho e oração, encontrar o equilíbrio e regar de temperança o seus relacionamentos interpessoais. Punha-se à serviço de todos e abraçava os serviços mais penosos e que geravam maior repulsa com grande zelo. 
Um grande pregador escondido atrás dos temperos, das panelas e no serviço aos irmãos. 
Tantas vezes rejeitado pelo seu povo de coração endurecido! 
Incessante, martelo dos hereges, defensor da verdade! 
Grande catequista. Antônio possui maestria com as palavras, dominava a oratória, 
mas sobretudo tinha o coração dócil ao Espírito Santo. 
Soube em tão pouco tempo, apenas 36 anos, fazer de sua vida um autêntico testemunho do Evangelho! 
Antônio foi na terra um espelho que refletiu a atenção de Jesus aos mais necessitados, não só do alimento, mas àqueles que eram pobres do conhecimento da verdade, da Doutrina, do Evangelho! 
Esse espelho continua a reluzir, seu testemunho é para nós um estímulo e modelo de como deve ser nosso zelo pela Palavra, nosso amor pela Santa Igreja e a intensidade do nosso trabalho e oração! 

Alguns marcos da vida de Santo Antônio
1195 - Nascimento: Lisboa Portugal
15 anos - Cônegos Regulares de Santo Agostinho 
1220: Ingresso na Ordem dos Frades Menores
1230: Alto grau de debilidade da saúde | Escrita dos Sermões
1231: Morte 
1232: Canonização realizada pelo Papa Gregório IX
Ps: Foi o processo de canonização mais rápido de canonização da história da Igreja.


Santo Antônio de Pádua, rogai por nós! 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Poucos versos

São poucos os versos e não
serão jamais capazes de sintetizar
o grande Amor que Ti recebo.
São poucos os versos, incapazes,
como já disse, meio sem rumo,
meio vagos, meio perdidos...
Poucos e incertos, por vezes
belos, mas não totalmente próprios.
São frutos deste Amor que todos os
dias eu provo.
São poucos e os renovo todos os dias
quando silencio, contemplo e ponho-me
em oração.
Quando ouço uma canção que fala de Ti,
quando para e olho-te a fazer-se vulnerável
e sendo um Deus tão imenso, permitir que
seja alcançado.
Escrevo, porque não consigo deixar em
mim retida tão grandiosa obra.
Sabendo que todos os livros do mundo não
seriam capazes de descrever Tua grandiosidade,
escrevo estes poucos versos que falam de Ti,
que falam do Teu amor!